Causas e sintomas do herpes, tratamentos e alimentação adequada para melhorar o herpes labial, herpes genital e herpes Zoster ou cobreiro


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O que são Herpes

O herpes é uma infecção causada pelo Herpes simplex vírus. O herpes oral (HSV1), é uma doença primariamente da infância, transmitida pelo contacto directo e pela saliva. O herpes genital (HSV2) é uma doença de adultos, uma vez que é transmitido pela via sexual. O vírus atravessa a pele e, percorrendo um nervo, se instala no organismo de forma latente, até que venha a ser reactivado.
A reactivação do vírus pode ocorrer devido a diversos factores desencadeantes, tais como: exposição à luz solar intensa, fadiga física e mental, stress emocional, febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica. Em alguns países, especialmente pobres, 90% das pessoas tem herpes, ainda que possam não ter tido sintomas. Um quinto dos adultos terá herpes genital, incluindo a Europa e os EUA.
As localizações mais frequentes são os lábios e a região genital, mas o herpes pode aparecer em qualquer lugar da pele. O herpes apresenta-se da seguinte forma:

- Inicialmente pode haver coceira e ardência no local onde surgirão as lesões.
- A seguir, formam-se pequenas bolhas agrupadas como num bu quê sobre área avermelhada e inchada.
- As bolhas rompem-se liberando líquido rico em vírus e formando uma ferida. É a fase de maior perigo de transmissão da doença.
- A ferida começa a secar formando uma crosta que dará início à cicatrização.
- A duração da doença é de cerca de 5 a 10 dias.

Não há tratamento que cure o herpes, porém medicamentos antivirais podem diminuir e prevenir as erupções. Adicionalmente, terapia diária de repressão ao herpes sintomático pode reduzir o risco de transmissão para o parceiro sexual.

Recorrência da infecção do herpes

Após a infecção inicial ou primária, os vírus podem ficar "adormecidos". De vez em quando, o vírus pode ser reativado e causar novas feridas levando-as a entrar em erupção. O vírus também pode reativar sem causar feridas visíveis. Em todos estes casos, pequenas quantidades de vírus podem ser derramadas perto dos locais de infecção original. As razões pelas quais isso ocorre são claras.
Mais de 50 por cento dos indivíduos infectados com herpes têm episódios recorrentes ou secundários. Algumas pessoas têm recorrências frequentes, enquanto que outras pessoas raramente os têm. A pesquisa indica que "surtos" de herpes são frequentemente influenciados pelo fato de você ter uma infecção de HSV1 ou HSV-2 e do período de tempo em que você foi infectado. O número médio de recorrências de HSV-2 é cerca de quatro vezes por ano; e as recorrências são mais comuns durante o primeiro ano. Cerca de um terço das recorrências de HSV-2 não causam sintomas e sinais reconhecíveis. Infecção por HSV-1 na área genital causa geralmente um primeiro episódio significativo, existindo cerca de uma recidiva por ano e uma menor taxa de recorrências não reconhecidas.
Há também um número de outros factores (mas não provados) que podem induzir a recorrência da doença, tais como, stress, cansaço, irritação da pele, a dieta, a menstruação, ou a relação sexual vigorosa. Com o tempo, os indivíduos tendem a descobrir os fatores físicos que parecem fazer com que seus "focos" surjam.

O derramamento viral ou recorrência ocorre geralmente durante um dia e, embora pouco frequente, torna-se suficiente para infectar o seu parceiro sexual. A maioria das pessoas pode perceber quando um ataque está chegando, porque eles sentem um formigamento ou sensação, onde a ferida ocorrerá. Como o sistema imunitário desenvolve anticorpos e outras armas contra o vírus durante o primeiro episódio, recorrências são geralmente mais suaves e mais curtas. Algumas pessoas nunca têm um segundo surto.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL